4 de fevereiro de 2013

Lazer

35 anos de carreira de Belle Dominique celebrados no Teatro do Bairro


Pelas 23:30, a irreverente “Belle Dominique”, personagem de Domingos Machado, subiu ao palco com um grupo de convidados para um “show” de comédia intitulado “Xê La Belle”, que foi marcado por forte componente musical.
Exuberante, entrou com a música "Welcome to Burlesque" da cantora Cher e a atirar flores para o público, qual diva.
Belle Dominique deu um espectáculo que se assemelhava a uma recepção das pessoas em sua casa acompanhada da assistente Joséphine, personagem francesa que teve aulas de português e que foi descoberta numa das ruas mais "estranhas" de Paris.
Muito inspirada pelos musicais, fez também uma performance de "When you are good to Mama" do musical Chicago. Sempre divertida e com muito humor, soltava gargalhadas uníssonas entre o público onde se encontrava a actriz Ana Brito e Cunha, na primeira fila, umas das mais animadas e das mais visadas nas brincadeiras do artista.
A primeira parte ficou marcada por conversas sobre o seu passado artístico, como as actuações no Minas e Armadilhas e a prestação como jurada no Big Show SIC. Quando quis terminar a primeira parte do espectáculo arrastou, literalmente, o nosso fotógrafo (Bernardo Martins) para ajudar na paródia enquanto o artista cantava.
A segunda parte começa com uma actuação espanhola, vestido a rigor com um traje tradicional, todos os pormenores foram bem pensados por Domingos Machado. Depois disso seguiu-se a actuação de Patrícia Ribeiro (cantora que já foi um homem e que entretanto mudou de sexo).
Outro dos convidados da Belle Dominique foi Luís Reis que fez uma performance de diablos e bolas de cristal impressionante e quase ilusionista. No final, foi bastante aplaudido e cativou a admiração do público.
De volta à música, "Yo Tengo 3 Maridos" é o nome de outra canção em que fez actuação e levou três homens para o palco para fazer uma espécie de teatro onde estes três senhores representavam os três maridos que supostamente a Belle Dominique já teve.
E como não há duas sem três, Belle Dominique teve ainda direito a uma terceira parte que começou com a transformista em palco vestida de noiva. Chamou um homem do público para fazer de noiva também e simulou um casamento. Simplesmente hilariante.
Saiu do palco e Josephine declamou uma parte do livro "Mensagem" de Fernando Pessoa (a parte do "Monstrengo") e também a parte mais conhecida de "Cântico Negro" do José Régio.
Quando voltou, com um novo vestido, agradeceu a todos os presentes e fez um pedido para as pessoas abandonarem os preconceitos e para irem a mais espectáculos de cabaret e transformismo.
Este espectáculo terminou com Belle Dominique, Josephine, Luís Reis e Patrícia Ribeiro no palco a dançar e cantar e o público a aplaudir.
É preciso salientar também aqui que durante todo o “Xé La Belle” Domingos Machado fez um género de stand up comedy (num humor improprio para menores mas inteligente e destemido) não se limitando às performances musicais, interagindo com todos os elementos do público.




Os 35 anos de carreira desta artista e deste actor que habitam a mesma pele serviu para mostrar que os espectáculos de cabaret e transformismo podem ser muito mais do que aquilo que se espera. Principalmente quando estamos a falar do maior nome desta área em Portugal.

Nenhum comentário:

Postar um comentário