8 de fevereiro de 2013


“ Sons de Vez ” ecoam em Arcos de Valdevez



Do Hip-Hop ao Jazz, da Electrónica ao Cantautor, do Rock Social ao Novo Blues e ao "eterno" Pop, a 11ª edição do “Festival Sons de Vez” apresenta uma grande diversidade com várias propostas musicais, e apresentará ainda uma exposição fotográfica que retrata alguns dos momentos mais marcantes da edição de 2012.
A mostra de música moderna portuguesa tem estado representada com nomes como os Amor Electro, a banda de Marisa Liz que abriu o Festival.

A 09 de Fevereiro, o fim de semana do Carnaval, a música está entregue aos Hot Pink Abuse, que continuam a promoção do seu disco de pop electrónica “Sinuosity”, e a Valter Lobo, um músico solitário que em 2012 integrou a colectânea dos Talentos Fnac.

A 16 de Fevereiro chegam ao “Sons de Vez” os The Last Internationale, que como lhe é habitual vão misturar os sons do Folk, Blues, Rock n’ Roll e Punk.

O mês de Fevereiro vai terminar com um concerto, a 23 de Fevereiro, dos Supernada que apresentarão o seu novo trabalho de seu nome “Nada É Possível”.
Para Março está prevista a actuação de dois dos produtores e rappers mais influentes a nível nacional, Mundo Segundo e Sam The Kid, que se apresentam em live act para mais uma sessão de soundclash, exactamente a 02 de Março.

Fast Eddie Nelson apresenta “Nuff Said!”, um disco de rock com sabor a blues e Thee Chargers, colectivo da Invicta, entrarão em cena a 08 de Março.

Os Black Bombaim, representantes da música moderna portuguesa tocarão a16 de Março naquela que se espera ser a revisita ao duplo vinil “Titans” que trouxe para a ribalta este colectivo de Barcelos.

O “Festival Sons de Vez" encerra a programação da 11ª edição com o cantautor Kiko, que toca a 23 de Março com a banda The Jazz Refugees.
Nuno Soares, Diretor da Casa das Artes de Arcos de Valdevez, refere que esta é uma edição para “libertar emoções, aproximar conceitos e públicos, alternar sensibilidades e manter ativas as energias criativas da nova música moderna portuguesa, espalhando-a para além das habituais geografias urbanas”.

Para assinalar a 11ª Edição, Nuno Soares preparou “um disco comemorativo que cruza alguns dos nomes que passaram pelo certamente e que sem dúvida são referências da música nacional”. O disco ficará à venda no circuito comercial, mas estará disponível na bilheteira a um preço mais acessível durante todo o festival.

Nenhum comentário:

Postar um comentário